Blefarite e os cuidados com a saúde visual

Nossos olhos estão constantemente expostos a vírus, bactéria, poluição e às vezes, podemos acabar desenvolvendo problemas visuais como a blefarite.

É importante entender que o cuidado com a saúde visual vai muito além da visita a um oftalmologista. Afinal, assim como cuidamos de outras funções do corpo, os cuidados com os olhos também precisam ser constantes. 

Porém, se você não sabe o que é blefarite, quais são os sintomas e como fazer para manter uma saúde visual mais adequada para as necessidades do seu cotidiano, a Óticas Ronaldo preparou esse conteúdo especialmente para tirar todas essas dúvidas. 

O que é blefarite?

A blefarite é uma inflamação ocular que afeta diretamente as pálpebras, causando grandes incômodos, fazendo com que os olhos fiquem irritados e avermelhados. Popularmente, também pode ser conhecida como “caspas nos cílios”.

Esse tipo de infecção pode acontecer por conta da alteração de produção de gordura nas glândulas, chamada de Blefarite Seborreica

Além disso, ela também pode aparecer por possíveis infecções bacterianas causada por contato direto ou poluição do ar, chamada de blefarite estafilocócica.

Mesmo não sendo uma doença contagiosa e podendo atingir qualquer pessoa, independentemente da idade, ela costuma ser mais frequente em idosos, indivíduos que tenham pele oleosa, caspa ou seborreia.  

Tipos de blefarite

Assim como outras doenças visuais, a blefarite pode ser classificada por alguns tipos, como:

  • Blefarite posterior: Responsável por afetar diretamente a parte inferior da pálpebra (geralmente, a que tem contato direto com o globo ocular)
  • Blefarite anterior: Os sintomas geralmente podem ser identificados na região dos cílios, mais precisamente na borda frontal da pálpebra.

Blefarite – Quais as causas?

Geralmente, a blefarite costuma estar associada a um crescimento contínuo de bactérias em nossa pálpebra e na base dos cílios ao longo do tempo. 

Atualmente, podemos mencionar diferentes causas para a blefarite, como:

  • Olhos secos;
  • Parasitas (ácaros nos cílios);
  • Crises alérgicas mal curadas;
  • Rosácea;
  • Infecção nas pálpebras;
  • Infecção fúngica;
  • Infecção bacteriana.

Caso não sejam cuidadas a tempo, elas podem se multiplicar rapidamente e criarem uma estrutura própria, chamada de biofilme.

Com isso, o biofilme cria espaço para que os “ácaros dos cílios” se alimentem dele, fazendo com que o quadro se agrave ainda mais. Por isso, consultar um oftalmologista é uma das melhores estratégias para evitar que problemas mais graves ocorram.

Quais são os sintomas?

Apesar de poderem sofrer variações de acordo com o quadro clínico da pessoa e também com os tipos de causas para a blefarite, os principais sintomas da doença são:

  • Ardência nos olhos;
  • Coceira excessiva;
  • Olhos lacrimejantes;
  • Excesso de maquiagem nos olhos;
  • Maquiagem vencida;
  • Fotofobia (sensibilidade à luz);
  • Perda constante de cílios;
  • Ardência ocular;
  • Arenosidade nos olhos;
  • Descamação da pele ao redor dos olhos.

É importante ressaltar que os sintomas da blefarite podem aparecer de maneira única ou em conjunto, de maneira pontual ou constante.

Como funciona o tratamento?

Primeiramente, ao detectar os sintomas mencionados acima, e acreditar que pode estar com blefarite, é muito importante que você agende uma consulta com o oftalmologista o quanto antes.

Afinal, apenas ele conseguirá confirmar o diagnóstico e indicar o melhor tratamento para a doença.

Porém, falando de maneira mais abrangente, podemos mencionar alguns métodos utilizados pelos profissionais para conter a blefarite. Conheça abaixo alguns deles. 

Colírio

Geralmente, o oftalmologista indica colírios como método de tratamento para casos mais leves de blefarite, já que eles podem ser facilmente controlados se a causa for o excesso de bactérias ou micróbios nas pálpebras. 

Por isso, fazer o uso contínuo dos medicamentos indicados pelo médico é fundamental para o tratamento e longevidade da sua saúde visual.

Esfoliação palpebral

Esfregar as pálpebras suavemente ajuda a remover o acúmulo de bactérias e biofilme das pálpebras. Porém, é importante fazer esse procedimento de maneira adequada, sempre indicada pelo oftalmologista.

Por isso, o médico poderá recomendar a aplicação de compressas e técnicas de acordo com a complexidade do caso.

Outros produtos que podem ser de grande utilidade na esfoliação palpebral durante a blefarite são xampus para bebês e produtos especializados para a limpeza local.

Prevenindo a blefarite

Para prevenir a blefarite, basicamente, você precisará ter uma limpeza constante no local. Também é necessário entender, que a limpeza precisa seguir alguns métodos específicos para que surta efeito de longo prazo. 

Além da compressa de água quente no local lesionado, com o objetivo de diminuir o contágio local, você poderá fazer a limpeza dos olhos seguindo algumas dicas abaixo, como:

  • Faça uso de água morna sempre que possível para fazer a limpeza dos olhos;
  • Não se esqueça de retirar a maquiagem assim que chegar em casa;
  • Evite locais com muita poeira;
  • Não leve suas mãos aos olhos com frequência;
  • Sempre que possível, utilize a água para fazer a limpeza dos olhos, ao invés de lenços ou papéis.

Qual o prazo de tratamento?

Apesar de cada caso ser único, e precisar ser avaliado de maneira individual pelo oftalmologista, a blefarite costuma levar de um a dois meses para ser curada de maneira completa. 

Devo me preocupar com a blefarite?

Apesar de ser uma doença que não represente problemas sérios para a sua saúde ocular, é importante que você recorra a um oftalmologista, principalmente se alguns dos sintomas mencionados neste conteúdo aparecerem de maneira recorrente. 

Por isso, reiteramos a importância do oftalmologista para que possa acompanhar o seu histórico clínico e receitar o melhor tratamento possível. 

E você? Já conhecia a blefarite? Deixe sua opinião sobre o tema nos comentários abaixo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *