Dificuldade para enxergar de longe: saiba mais sobre a miopia. Um dos distúrbios de refração mais comuns.

A miopia ou popularmente conhecida como “dificuldade de ver de longe” ou “enxergar mal de longe” é uma deficiência visual. As pessoas míopes podem ver claramente os objetos que estão próximos, mas não conseguem focar em objetos distantes.

A miopia é diagnosticada como um erro refrativo do globo ocular, ou seja, a imagem dos objetos nos olhos é focada incorretamente. Desse modo, o objeto é focado à frente da retina o que faz com o que a visão desse objeto distante pareça turva e embaçada.

Pessoas com histórico familiar de miopia demonstram maior probabilidade de vir a desenvolvê-la.  A hereditariedade é um fator importante, se um dos pais é míope, a criança tem 30% de chance de ser também, por isso a grande necessidade de levar as crianças ao oftalmologista. Atualmente, nota-se que o estresse visual de forma prolongada e excessiva por meio do uso de telas digitais, têm contribuindo para o avanço da doença. O índice de pessoas com essa deficiência visual é de tal intensidade, que a Organização Mundial da Saúde (OMS), já a considera uma epidemia em vários países.

Leia mais

Presbiopia ou vista cansada: saiba mais sobre as causas, sintomas e tratamento.

A presbiopia, ou também chamada de vista cansada, é o processo que ocorre naturalmente com o envelhecimento dos olhos e atinge a maioria das pessoas. Esse é um problema bastante comum, e os primeiros sintomas começam aparecer a partir dos 40 anos. Uma situação bastante comum que demonstra esse problema, é quando uma pessoa pega algo como o celular, revista ou jornal e afasta ao máximo para conseguir enxergar melhor. Esse é um clássico exemplo de quem apresenta os sinais de presbiopia ou vista cansada.

A presbiopia ocorre por meio do desgaste natural dos olhos. Durante esse processo acontece a perda de elasticidade do cristalino. Desse modo, a pessoa não consegue enxergar os objetos próximos com nitidez.

Leia mais

Saiba mais sobre a conjuntivite: tipos, sintomas, prevenção e tratamento.

Quase todo mundo já se deparou com a seguinte situação: ir dormir sentindo-se bem e ao acordar no outro dia estar com a sensação de “areia nos olhos”. Ou até mesmo com os olhos inchados, lacrimejando e “grudando”. Pois bem, esses são os principais sintomas de estar com conjuntivite. Silenciosa, ela age de repente causando muito incômodo.

A conjuntivite trata-se da inflamação da conjuntiva, isto é, a membrana transparente que reveste a esclera. Essa é a região que chamamos popularmente como “branco do olho”. Essa inflamação causa bastante incômodo e desconforto como coceiras, dificuldade para enxergar e vermelhidão nos olhos.

Leia mais

Qual relação entre a boa visão e o aprendizado do seu filho (a)?

Os olhos do ser humano são responsáveis por aproximadamente 80% das informações de comando que chegam ao cérebro. Através deste sentido tão importante, é possível comandar quase todo o corpo humano. Por isso, cuidar da saúde visual infantil desde a primeira infância é essencial para manter uma boa visão durante o resto da vida.

Mas o que muitas vezes acaba passando desapercebido é relacionar a visão com um desempenho mediano escolar. Pensamos muitas vezes que o problema é do aprendizado da criança ou até mesmo do ensino. Poucas vezes pensamos que a visão pode ser a responsável.

Por isso, cuidar da visão desde cedo e levar seu filho (a) no oftalmologista desde os primeiros anos de vida é fundamental. Sabemos que algumas dificuldades de leitura ou até mesmo de desenvolvimento é normal até uma certa idade. Mas é importante ter o acompanhamento para não perder a linha tênue do normal para os cuidados necessários.

Inclusive, um estudo americano demonstrou que aproximadamente 2440% das crianças analisadas com dificuldade de aprendizagem, tinham problemas nos movimentos oculomotores. Esse dado é apenas para dar embasamento na importância do cuidado da saúde visual infantil ao longo da vida.

E neste artigo, a Óticas Ronaldo traz para você, soluções de como você pode se manter atento para a visão do seu filho (a) com dicas simples e eficazes. Afinal, entender um pouco sobre a saúde visual é fundamental em todas as idades.

Percepção visual

Segundo o livro da autora Núbia Albergoni, “Visão e aprendizagem: Muito além dos óculos”, a percepção infantil deve ser acompanhada desde o princípio. A percepção visual também pode ser conhecida como processamento visual, e é responsável por como entendemos as imagens que captamos ao nosso redor.

E para que ela se desenvolva normalmente, é preciso que a imagem através dos olhos esteja nítida. Pois, após codificada pelo cérebro e interpretada, nós conseguimos começar a desenvolver nosso raciocínio lógico.

Ainda segundo Núbida, temos essencialmente 7 habilidades fundamentais, que são intimamente responsáveis pelo aprendizado das crianças até os três anos de idade. Elas são listadas como:

• Processo de organização
• Compreensão
• Memória
• Atenção
• figura-fundo
• Constância de forma
• fechamento visual

Vista x Visão – Qual a diferença?

Apesar de usarmos o termo vista e visão para definir exatamente a mesma coisa, existe uma diferença bem grande entre um e outro.

Enquanto a visão se refere a captação de informação, processamento e codificação para dar sentido à imagem, a vista é uma via de entrada saudável do olho, responsável pela nitidez e integridade de conexão entre elas.

Por isso, a visão não significa ter 100% de vista, mas sim um grupo de características específicas que completem elas de maneira uniforme. E logo em seguida, conseguimos processar as informações obtidas para que os outros sentidos (como a fala, escrita, leitura e comportamento) sejam sincronizados entre si e a imagem faça sentido para cada uma delas.

E quando sabemos que uma criança tem uma visão perfeita? Quando o oftalmologista faz o teste de Snellen, composto pela tela cheia de letras e números com diferentes tamanhos e distâncias.

Se o exame der o resultado de 20/20, significa que a visão é considerada perfeita dentro da oftalmologia. Falando em termos técnicos, isso quer dizer que a acuidade visual daquele ser humano está funcionando bem.

Dicas:

Mesmo com todas as dicas e às vezes, a percepção de alguma dificuldade visual, muitos pais ainda possuem dúvidas na hora de levar o filho para uma avaliação visual.

Segundo a autora do livro, as habilidades visuais de um ser humano começam a tomar forma a partir dos seis meses de vida e neste momento, já podem passar por uma avaliação constante.

Por isso, é essencial que você tenha algumas datas em mente para fazer a avaliação mais criteriosa da visão da criança, como:

• 06 meses de vida

Aqui, a avaliação acontece a avaliação relacionada a integridade e o desenvolvimento ocular e visual do bebê.

• 2 a 3 anos

Neste momento, a visão está intimamente ligada ao desenvolvimento motor, e ambas as relações possuem uma ligação. A avaliação é extremamente indicada pois podem haver algumas intercorrências neste período de fácil tratamento se descobertas a tempo.

• 6 anos:

Quando a criança atinge esta faixa etária, o desenvolvimento visual já está completo. A avaliação se faz extremamente necessária por estar ligada diretamente com a facilidade de aprendizagem, leitura e escrita durante o período escolar.

Conclusão:

Para ter um índice de aproveitamento escolar satisfatório do seu filho, esteja sempre atento as menores dificuldades e queixas apresentadas em relação à visão.

Por isso, neste artigo, pudemos entender um pouco mais sobre a importância da percepção visual, a diferença entre visão e vista e algumas dicas para se manter sempre atento às consultas periódicas no oftalmologista.

Lentes com filtro de luz azul: Conheça os benefícios para sua visão.

Cada vez mais as pessoas têm passado seu tempo olhando para telas coloridas e em ambientes de luz artificial. A exposição à luz azul tem se tornado crescentemente habitual devido às fontes de luzes modernas como, por exemplo, a radiação emitida por meio das telas de dispositivos eletrônicos como celulares, tablets e computadores.

Expostos a essa luz e a longos períodos, os olhos são os mais prejudicados. A longo prazo, danos fotoquímicos podem ocorrer a retina e também dar início a um risco a uma degeneração macular com o passar do tempo.

Leia mais